Gente Famosa

Suzana Alves, a ex-Tiazinha, completa 40 anos e faz sua primeira protagonista no cinema

03/08/18 - 14h12 - Atualizado em 03/08/18 - 14h49
Divulgação

Suzana Alves completa 40 anos nesta sexta (3) e a noite vai ser intimista, com jantar para a família. A comemoração segue mês afora com show dos Tribalistas e uma viagem. Na vida profissional, um grande presente: a atriz conquistou sua primeira protagonista no cinema, no filme "Só Os Fortes Vencem", dirigido e produzido por Elder Fraga.

Ela também comemora seu desempenho na minissérie "Lia", da Record, que terminou em julho. Foi seu retorno à dramaturgia na TV após nove anos longe. Suzana pretende lançar um livro sobre gravidez ainda neste ano, inspirado em sua própria história -a atriz precisou fazer três fertilizações in vitro para dar à luz Benjamin, 2.

Em meio a rotina corrida de atriz, escritora, mãe, mulher e empresária, Suzana Alves conversou com a reportagem e falou sobre sua atual fase de vida. Ela relembra episódios marcantes da infância, o início da carreira, o sucesso da personagem Tiazinha, o período sabático necessário para se recompor e aposentar de vez a jovem que usava espartilho, máscara e chicote, e os próximos trabalhos.

PRIMEIRA PLATEIA AOS 2 ANOS

Nascida em 3 de agosto de 1978 no bairro da Freguesia do Ó, na zona norte de São Paulo, Suzana Alves ainda carrega o sotaque paulistano e lembranças da infância simples que viveu e que moldou sua forma de ser. O que mais lhe influenciou, diz, não foi a classe social a qual já pertenceu um dia, nem o fato de ter vivido na periferia paulista, mas sim a criação que a família ofereceu a ela e aos irmãos -Gerlúcio, Felipe e  Sebastião, este último morreu no primeiro ano de vida. 

"Tenho esse recheio de amor, de ter sido criada pelos meus pais e pela minha família, apesar das dificuldades que todo mundo tem. Meus pais têm um caráter singular e passaram isso a mim e aos meus irmãos."

Suzana diz que já nasceu artista. Aos 2 anos teve sua primeira plateia de rua: "Sempre fui uma criança muito expressiva. Viajei para a Paraíba com a família e minha mãe disse que estava tocando um forró na rua e comecei a dançar. Quanto mais pessoas chegavam para assistir, mais dançava. Adorava aparecer", relembra.

Percebendo a veia artística da filha, Lúcia Alves a matriculou no ballet. Formou-se bailarina no Theatro Municipal de São Paulo. Depois, foi a vez do teatro. Vieram os comerciais, eventos e programas de TV.

SUZANA OU MARIANA?

A atriz adora o próprio nome e explica que ele tem origem hebraica. "Significa pura como um lírio. Essa flor brota na lama e é grande e cheirosa. Antes de saber disso eu já adorava lírios. É uma grande conexão. Tem tudo a ver comigo."

Muita gente não sabe, mas o nome da atriz é uma homenagem a Susana Vieira, que estava no ar em uma novela quando Lúcia Alves engravidou. O pai, Geraldo Ferreira, que já faleceu, queria que Suzana se chamasse Maria Mariana, para homenagear a avó paterna. Depois, optou por Suzy. No fim, o casal chegou ao consenso. "Acho que foi aquela coisa de homem que só queria contrariar [risos]."

TIAZINHA, UMA PÁGINA VIRADA

Aos 18 anos, Suzana Alves se transformou em um fenômeno na televisão ao interpretar a personagem Tiazinha no Programa H (Band), apresentado por Luciano Huck. Na atração, ela encarnava uma jovem sensual, que usava lingerie, máscara e chicote. Em pouco tempo, Tiazinha tornou-se um ícone pop. 

Nem parece que tudo começou por acaso, mas o fato é que o programa já existia há um ano quando Suzana trocou telefone com uma produtora da atração. Ela conta que foi parar na Band ao pegar carona com uma amiga que trabalhava na emissora e precisava passar na emissora no meio do caminho.

"A produção me ligou e me convidou para a gravação de um piloto do quadro da Tiazinha. Agradeci, mas disse que não tinha nada a ver, e eles insistiram. As meninas que haviam feito teste não tinham o perfil que eles buscavam. Falei com minha mãe e, como devia duas mensalidades da faculdade de jornalismo, ela apoiou a tentativa. Como já fazia teatro, foi muito legal. Eles [produção do programa] me deixaram livre para criar e me senti mais à vontade. Fui à sala de figurinos, peguei a máscara e o chicotinho, e fui brincando. Fiz uma mistureba lá e fui aceita", conta.

O piloto foi gravado, a plateia foi à loucura e pediu bis nos programas seguintes. Teve início, então, a "era Tiazinha" no qual a artista conquistou uma legião de fãs. Um dos pontos altos desse momento foi quando estampou a capa da Playboy, em março de 1999. Essa foi a segunda edição mais vendida da história da revista, superando o marco de um milhão. Em 2000, ela fez outra capa, também com vendas expressivas.

A artista conta que aos 18 anos não era sensual como Tiazinha: "Hoje, com 40 pode até ser, mas naquela época jamais, pelo contrário." Depois de muito sucesso, Suzana aposentou a personagem e, antes de virar a página completamente, lançou o álbum "Tiazinha Faz a Festa" e a série "As Aventuras de Tiazinha" (Band, 1999-2000), em que deixava para trás o posto de símbolo sexual e encarnava uma heroína. 

Alves chegou a tirar um período sabático da televisão para se recuperar da falta de privacidade e refletir sobre qual seria seu rumo na carreira. "Hoje não destaco nada de ruim que essa personagem trouxe. Talvez há dez anos tenha falado isso porque estava em outro processo. Nesse sentido, não posso falar do passado. Apenas do presente. E hoje digo que essa personagem só me trouxe coisas boas. Muita evolução pessoal e profissional. Como artista, foi uma grande oportunidade", conta.

MATERNIDADE

Casada com o tenista Flávio Saretta desde 2010, Suzana Alves engravidou em 2015, após superar vários desafios. Ela fez três fertilizações in vitro até o nascimento de Benjamin. A maternidade, segundo ela, foi uma de suas maiores realizações pessoais.

Diante da dificuldade que enfrentou para engravidar, ela escreveu um livro que deve ser publicado até o fim deste ano. "É um alerta para que no futuro as mulheres não sofram porque deram prioridade à vida profissional e, de repente, perderam o tempo de realizar algo importante na pessoal, que é a maternidade. [...] Num momento em que as mulheres são empoderadas, batalham pelo seu espaço e buscam seu lugar ao sol, precisam se atentar a isso também", afirma.

RETORNO À TV E PROTAGONISTA NO CINEMA

Pouco tempo após dar à luz, Suzana Alves embarcou no desafio da segunda temporada do Dancing Brasil (2017), reality show musical da Record comandado por Xuxa no qual foi vice-campeã. "Estava em um processo de superação e o programa foi maravilhoso. Perdi os quilinhos a mais e ganhei uma autoestima bacana. Meu intuito quando entrei no programa era voltar para a dramaturgia na TV. Eu já estava pronta e a Record me deu a oportunidade."

Em junho de 2018, foi a vez de Alves dar vida à personagem Laila, na minissérie "Lia". "Foi um papel muito difícil. Procurei humanizar ao máximo, porque uma vilã tem o risco de cair no estereótipo. Graças a Deus a Laila nasceu muito forte e todo mundo ficou feliz com meu trabalho."

Em 2019, Suzana Alves será Alice, protagonista do filme "Só Os Fortes Vencem", e fará par romântico com o ator Julio Rocha, que interpreta o lutador de MMA Cris. "Estou ansiosa. Já fiz uns oito filmes, mas nunca tive uma personagem tão importante como esta. Alice é uma mulher muito forte, que cuida da rotina dos lutadores. O pai dela é patrocinador. Ele faz os eventos de MMA e compra lutadores", adianta. 

Segundo a atriz, o longa vai abordar o que acontece nos bastidores do universo das lutas. "Mostra um pouco do mundo sujo do MMA no qual Alice acaba entrando nessa corrupção. Lutadora, ela tem um romance com o protagonista, que é barra pesada. O texto é muito bom. Amei o roteiro."
Para dar vida a Alice, Suzana terá que intensificar à atividade física para ter uma melhor definição corporal.A mudança de hábito se dará com o início das filmagens, ainda sem data prevista.

"Estou me preparando para a vida, então me cuido sempre. Engordei 28 quilos na minha gestação, além de tomar muitos hormônios para engravidar. Não podia fazer muitas atividades porque a gravidez foi de risco, mas perdi esses quilos a mais em um ano e meio, regulando a alimentação e sem tomar remédio algum."

A atriz, que tem arrancado elogios de fãs e da mídia pela boa forma, afirmou ainda voltou a fazer ioga "pesada" de três a quatro vezes por semana, e que nunca mais vai largar a atividade. "Hoje eu me preparo para me sentir bem comigo mesma."