Interior

Trade turístico de Piranhas reclama das constantes quedas de energia na região

TNH1 | 27/09/21 - 11h20 - Atualizado em 27/09/21 - 15h05

O Trade Turístico da cidade de Piranhas, no Sertão de Alagoas, emitiu uma nota de repúdio, nesta segunda-feira, 27, pelos serviços prestados pela empresa Equatorial Alagoas, responsável pela distribuição de energia da localidade. Segundo as instituições, as interrupções no fornecimento da energia elétrica são recorrentes, assim como há oscilação, principalmente no período da noite. 

O comunicado foi assinado pela Associação Comercial de Piranhas (Ascop), pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Alagoas (Abrasel), pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas (Abih), pela Secretaria de Cultura e Turismo de Piranhas (Secult) e pelo Conselho Municipal de Turismo de Piranhas (Contur).

De acordo com a nota, a população da cidade e o trade se sentem constrangidos com a situação. "Frise-se ainda, que a cidade de Piranhas é o terceiro destino turístico do estado, tendo um alto fluxo turístico, e na quinta-feira (23), moradores e turistas tiveram o desprazer de vivenciar quase 7 horas de falta energia. É totalmente descabida uma situação desse nível em meio a uma retomada econômica onde todo o empresariado busca reaver suas perdas diante do cenário pandêmico", mostra trecho do documento.

Os reclamantes também destacaram que providências emergenciais em relacão à situação foram solicitadas, como também a atuação errática por parte da empresa no Centro Histórico, no que diz respeito aos medidores de energia.

Em nota enviada ao TNH1, a Equatorial Alagoas afirmou que tem feito investimentos e executado ações permanentes para melhorar o fornecimento de energia na região. Leia na íntegra

"Com relação à nota divulgada pelo Trade Turístico do município de Piranhas, a Equatorial Alagoas enfatiza que tem feito investimentos e executado ações permanentes para melhorar o fornecimento de energia e disponibilizar um atendimento de qualidade para todos os clientes. 

Entre as ações já realizadas, para reforçar a rede elétrica existente, a distribuidora executou, nesse mês de setembro, uma grande manutenção preventiva, com podas de árvores, substituição de cabos e postes em diversas áreas do município, incluindo parte do Centro Histórico.

Com relação à interrupção do fornecimento de energia elétrica registrada na quinta-feira (23), a concessionária ressalta, que equipes técnicas foram acionadas imediatamente para atender o chamado e ao chegar no local, após uma inspeção na rede da distribuidora, foi constatado que a ocorrência se deu em razão de uma falha em um equipamento que fica localizado dentro da subestação da Energisa Sergipe, em Xingó, que atualmente abastece o município. A empresa está atuando junto à Energisa para evitar novas ocorrências.

A empresa informa que já iniciou estudos e projetos necessários para ter sua própria subestação, que será construída no município para oferecer ainda mais segurança, qualidade e confiabilidade no fornecimento de energia para clientes residenciais, comerciais e industriais da região.

Já sobre medidores, a empresa informa que notificou clientes que mantem os equipamentos dentro dos imóveis e concedeu prazo de 30 dias para que fosse feita a relocação para a parte externa. De acordo com a Aneel, os medidores de energia elétrica devem ser instalados fora das unidades consumidores, o que evita situações de risco como incêndios motivados por curto-circuito, além de garantir que a medição do consumo seja feita de maneira eficiente e não haja faturamento por estimativa, que ocorre quando, por qualquer motivo, não é possível o acesso do leiturista ao medidor. Em caso de impedimento de acesso ao medidor, o cliente fica sujeito a suspensão do fornecimento. 

Por fim, a Equatorial ressalta que tem feito reuniões periódicas com o trade turístico de Piranhas, com representantes da Prefeitura e outras entidades de classe e tem repassado todos os posicionamentos sobre as ocorrências registradas, como também informado sobre as ações de melhoria e investimentos já realizados e os que estão em andamento ou programados para serem executados a curto, médio e longo prazo".