Mundo

Tripulação de avião que caiu no México conseguiu escapar antes de incêndio

01/08/18 - 14h57 - Atualizado em 01/08/18 - 15h01
Divulgação/ Defesa Civil de Durango

Dezenas de pessoas ficaram feridas quando uma aeronave Embraer operada pela Aeroméxico caiu logo depois da decolagem no Estado mexicano de Durango na terça-feira, mas as autoridades disseram que não houve mortes e que a maioria das pessoas a bordo não se machucou seriamente.

O avião de médio porte tinha 101 pessoas a bordo -97 passageiros e 4 tripulantes-, segundo a companhia aérea. A imprensa mexicana, porém, diz que eram 103, incluindo dois bebês. Todos conseguiram sair em segurança antes de a aeronave ser engolida pelas chamas.

Os passageiros conseguiram fugir pelos escorregadores de emergência antes de o avião ser tomado pelo fogo, afirmou o governador de Durango, José Rosas Aispuro. O piloto foi o que mais se feriu, mas seu quadro é estável.

Imagens de televisão mostraram a estrutura seriamente danificada do avião depois que a aeronave parou em um trecho de terra com vegetação rasteira, e uma coluna de fumaça subindo aos céus.

O avião mal havia decolado quando deu a sensação de ter sido atingido por uma corrente forte de vento, disse um passageiro à rede mexicana Televisa.

O governo local informou que uma rajada de vento sacudiu a aeronave antes de o avião mergulhar subitamente, citando o controle de tráfego aéreo do aeroporto. A asa esquerda bateu no solo, soltando dois motores, antes de o avião parar a 300 metros da pista.

O Grupo Aeroportuário Centro Norte, o operador do aeroporto, também atribuiu a queda ao tempo ruim, citando relatórios preliminares.

A Aeroméxico disse em um comunicado: "Lamentamos profundamente este acidente. As famílias de todos os afetados estão em nossos pensamentos e nossos corações".

A brasileira Embraer, fabricante da aeronave, disse que está pronta para ajudar as autoridades a investigar a queda e afirmou que vai mandar uma equipe técnica para o local do acidente.