Brasil

Vereador é investigado por abrir caixão de suposta vítima da Covid-19

27/04/21 - 10h06 - Atualizado em 27/04/21 - 10h15
Reprodução/Redes Sociais

Um vereador de Santa Bárbara do Leste, em Minas Gerais, viralizou nas redes sociais por compartilhar, no próprio perfil, um vídeo em que aparece abrindo um caixão lacrado. O objetivo do político era provar que o morto não havia sido vítima da Covid-19.

O caixão lacrado em mortes pelo novo coronavírus é uma recomendação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Acompanhado pela família do morto, por uma funcionária da Vigilância Sanitária da Prefeitura de Santa Bárbara do Leste e por apoiadores, William Faria (PT-MG) aparece cortando, com um facão, os lacres do caixão de um idoso de 92 anos.

Com o laudo do óbito em mãos, a todo momento o vereador questiona o protocolo sanitário.

“Nós não podemos enterrar um cidadão com dúvida. Não é simplesmente pegar um cidadão e empacotar ele e falar que é Covid-19. A gente tem que ter certeza do que está fazendo”, afirmou.

Testes

O Hospital Irmã Denise (Casu), em Caratinga (MG), para onde José Vieira do Carmo foi transferido horas antes de morrer, afirmou ao G1 que ele morreu com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e sintomas de Covid-19. O idoso deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caratinga, na noite de sábado (24/4).

Apesar do laudo do hospital, a família de José afirmou que ele havia feito um teste rápido antes de ter o estado de saúde agravado, que deu negativo. Posteriormente, ele fez o PCR. No entanto o diagnóstico ainda não saiu.

Além disso, ele havia tomado a primeira dose da vacina contra o vírus.

“Ele não aguentou a intubação. Foi feito o teste de Covid rápido e deu negativo. Então, ele foi para o Casu. Chegou ao Casu, ele nem ficou tanto tempo. Era para terem colocado no prontuário médico, pois se é suspeita de Covid, a família tem que saber”, disse a neta do idoso, Graziela Vieira do Carmo.

Acerca da presença de uma funcionária da Vigilância Sanitária da Prefeitura de Santa Bárbara do Leste, o município justificou que ela se sentiu pressionada e que foi induzida pelo parlamentar. A prefeitura reforçou e disse ainda que discorda totalmente da ação irresponsável do vereador, que expôs todos que estavam no local ao risco de contaminação.

Investigação

A Polícia Civil do estado informou que William Faria já está sob processo de investigação por crime de infração de medida sanitária preventiva.

A Câmara Municipal de Santa Bárbara do Leste também informou que o órgão instaurará uma investigação para apurar a conduta do vereador.

“A Câmara Municipal esclarece que a conduta do vereador será devidamente investigada por uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Tão logo o processo seja concluído, daremos maiores esclarecimentos sobre as medidas adotadas em razão deste lamentável evento”, afirmou Altair Nunes Ferreira, presidente da Câmara.