Brasil

Vídeo: ex-prefeito de Piên se esconde em forro de casa para fugir da polícia

31/01/17 - 14h34 - Atualizado em 31/01/17 - 14h47
Reprodução/Cope

Gilberto Dranka, ex-prefeito da cidade de Piên, que fica na região metropolitana de Curitiba, é um dos alvos de uma operação deflagrada nesta terça-feira (31) pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), da Polícia Civil. O político é suspeito de envolvimento na morte do prefeito eleito da cidade, Loir Dreveck, de 52 anos. Dranka tentou se esconder dos policiais no forro da casa, mas foi preso instantes depois.

Além do ex-prefeito de Piên, também são alvos da operação outras duas pessoas que vão ser presas de forma temporária. Os policiais do Cope ainda vão cumprir 8 mandados de busca e apreensão e três de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para a delegacia para ser ouvida).

Cerca de 40 policiais do COPE participam da operação policial. Os mandados judiciais devem ser cumpridos não só em Piên, mas também em Itajaí, no estado de Santa Catarina. O Cope prendeu também o homem que executou o crime e outra pessoa que teria intermediado o assassinato.

Ainda de acordo com as investigações, o homem que atirou contra o prefeito é suspeito de matar por engano outra pessoa. Dias antes de Loir ser atingido, o homem teria atirado contra um homem, achando que se tratava do prefeito eleito.

Crime falado na cidade

O assassinato de Loir Dreveck aconteceu em dezembro de 2016, poucos dias antes de tomar posse no cargo. O prefeito eleito foi alvejado quando viajava para Santa Catarina, pela PR-420. Segundo a polícia, ele estava num carro da prefeitura, com a família, quando foi surpreendido por um motociclista que disparou.

Loir foi atingido na cabeça, mas sobreviveu ao disparo e foi encaminhado em estado grave ao Hospital e Maternidade Sagrada Família, em São Bento do Sul, (SC). Três dias depois, o político morreu.

Desde o dia em que o prefeito eleito foi baleado, na cidade de Piên os comentários eram de que o ex-prefeito teria participação no crime. Gilberto era conhecido na cidade pelas polêmicas que se envolvia. Em outubro do ano passado, por exemplo, foi parar na delegacia depois que teria apontado uma arma para um servidor concursado da prefeitura que ainda administrava.

O que mais chocou a população de Piên é que Loir Dreveck era o candidato apoiado por Gilberto Dranka. O político, que era do PMDB, ganhou a eleição com pouco mais de 51% dos votos. A Polícia Civil deve divulgar, ainda nesta terça-feira, qual foi o motivo e os detalhes do crime.