Maceió

Vítima de atentado em Paulo Jacinto é transferida para hospital particular

TNH1 | 05/08/22 - 15h40
Reprodução/Instagram

Lérida Lobo Gomes Vitorino, de 49 anos, vítima do atentado a tiros no município de Paulo Jacinto, foi transferida do Hospital Geral do Estado (HGE) para um hospital particular nesta sexta-feira (05). A informação foi confirmada ao TNH1 no início da tarde de hoje pela assessoria do HGE. O quadro clínico dela é considerado estável.

A mulher, que é pré-candidata à deputada federal por Alagoas e presidente de uma ONG que cuida de cães e gatos, deu entrada no no hospital de urgência e emergência às 19h48 de ontem e passou por uma cirurgia no braço devido aos ferimentos causados por arma de fogo. 

Investigações - Na tarde desta sexta-feira (05), a Polícia Civil (PC) descartou que a morte de José Adilson, de 24 anos, e a tentativa de homicídio contra Lérida Lobo Gomes Vitorino,  de 49 anos, tenha sido motivado por política. De acordo com o delegado Thales Araújo, trata-se de um crime de ódio, motivado por uma vingança contra José Adilton, que é conhecido na região como "Galeguinho".

"Os três envolvidos são irmãos e tudo indica que a motivação foi vingança, diante da suspeita de que o namorado da pré-candidata teria envolvimento com o homicídio do pai deles", adiantou o delegado acrescentando que não há provas da participação do jovem no crime.

Dois suspeitos do ataque morreram depois de tiroteio com policiais no interior alagoano. Um terceiro suspeito conseguiu fugir e segue foragido.

Vídeo mostra perseguição - Imagens de uma câmera de segurança flagraram o momento em que um veículo cinza persegue o carro em que estava a pré-candidata à deputada federal, Lérida Lobo Gomes Vitorino e o companheiro dela, José Adilson da Silva, em uma rua no município de Paulo Jacinto, Agreste do Estado, nessa quinta-feira, 04.

As imagens registradas foram divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP-AL), na tarde desta  sexta-feira, 05. De acordo com a SSP, no interior do veículo cinza, flagrado nas imagens, estariam os suspeitos de atirarem contra Lérida Lobo Gomes Vitorino e José Adilson da Silva.

O atentado - Lérida, que é presidente da ONG, e José Adilson, que auxiliava os trabalhos dela, foram surpreendidos pelos criminosos em carro e em moto, e atingidos pelos disparos no momento em que deixavam a entidade.

Ainda segundo o que foi passado, os homens atiraram diversas vezes contra os dois e fugiram em seguida. Lérida e José Adilson foram socorridos e levados ao hospital da cidade, porém o homem não resistiu à gravidade dos ferimentos e faleceu na unidade. Lérida foi colocada numa ambulância e transferida ao HGE, em Maceió, onde deu entrada na área vermelha.