Brasil

Bolsonaro sobre irmão que recebia R$ 17 mil e não trabalhava: "Ele que se exploda"

08/04/16 - 08h47 - Atualizado em 08/04/16 - 08h52
Reprodução / Facebook

O irmão do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), Renato Antônio Bolsonaro, foi exonerado nesta quinta-feira (7) do cargo de assessor especial do deputado estadual André do Prado (PR) após ser considerado funcionário fantasma na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo).

A informação, revelada em reportagem exibida pelo SBT, destaca que Renato era remunerado com um salário de R$ 17 mil mensais. A apuração mostra ainda que ele trabalhava vendendo móveis na cidade de Miracatu, no interior de São Paulo, enquanto deveria estar na Alesp.

Em 2012, ele concorreu ao cargo de prefeito da cidade de Miracatu, a mesma na qual foi localizado pela reportagem. Na ocasião, ele obteve 25,08% dos votos válidos e não conseguiu se eleger.

Procurado pela rede de televisão, o deputado Jair Bolsonaro disse desconhecer a situação e ainda deu uma bronca no irmão.

— Se meu irmão praticar algum crime, fizer alguma besteira, é problema dele. Não vai ter nenhum apoio. Ele que se exploda.