Interior

Caso Beatriz: Justiça marca primeira audiência em Maravilha

Eberth Lins | 10/11/20 - 10h01 - Atualizado em 10/11/20 - 10h52
Foto: Reprodução

A justiça alagoana marcou para o próximo dia 23 de novembro a primeira audiência de instrução sobre o caso da menina Ana Beatriz Rodrigues Rocha, de seis anos, que foi estuprada e estrangulada no município de Maravilha, no Sertão de Alagoas. A audiência está marcada para às 10h, na Vara do Único Ofício de Maravilha.

A audiência de instrução é um procedimento  para produção de provas e julgamento. O autor do fato é citado para comparecer acompanhado por advogado. Caso ele não tenha constituído advogado, um defensor público fará a sua defesa.

O suspeito dos crimes, Edvaldo dos Santos, o "Santinho", como é conhecido na cidade, já tem passagens na polícia por latrocínio, isto é, roubo seguido de morte.

Para a advogada Julia Nunes, da Associação AME, ONG que acolhe mulheres vítimas de violência, a audiência marca o início de uma "luta por justiça". "Serão ouvidas testemunhas e provavelmente a defesa do réu venha pedir para que ele responda em liberdade, mas lutaremos para que isso não aconteça. Demonstraremos que ele é um perigo para a sociedade", adiantou. "Nós esperamos ainda que mais vítimas apareçam e estejam cientes de que a AME está à disposição para recebê-las", acrescentou.

O corpo de Ana Beatriz foi encontrado, no último dia 06 de agosto, dentro de um saco plástico, em cima do telhado da casa de "Santinho", que foi autuado em flagrante pelos crimes de homicídio, estupro de vulnerável, sequestro e cárcere privado.

À época, em depoimento ao delegado Hugo Leonardo, Edvaldo dos Santos disse não lembrar do ocorrido e que estava sob efeito de álcool e drogas.

O TNH1 entrou em contato com o Ministério Público Estadual (MPE) e foi informado de que o promotor responsável pelo caso só vai se pronunciar ao fim do ato processual.