Justiça

Conselho de Sentença condena réu por homicídio privilegiado

10/02/17 - 16h17 - Atualizado em 10/02/17 - 16h19
Ascom TJ-AL

O réu Vagner Pereira Silva foi condenado a oito anos, nove meses e dois dias de reclusão pela morte de Jackson Alves da Silva, ocorrida em abril de 2014, em Maceió. O julgamento ocorreu nessa quinta-feira (9), no Fórum da Capital.

A acusação sustentou a tese de homicídio qualificado pelo motivo torpe, mas os jurados acolheram a tese da defesa, de homicídio privilegiado (praticado sob domínio de forte emoção). O réu poderá apelar da sentença em liberdade.

O julgamento foi presidido pela juíza Lorena Carla Sotto-Mayor, titular da 7ª Vara Criminal. "A pena deverá ser iniciada no regime semiaberto, à vista do disposto junto ao art. 387, parágrafo 2º do Código de Processo Penal, vez que, considerando o tempo de segregação provisória (dois anos, nove meses e dezessete dias), restam a cumprir cinco anos, onze meses e quinze dias de reclusão", explicou.

A acusação teve à frente a promotora de Justiça Lídia Malta Prata, e a defesa ficou a cargo do defensor público Marcelo Barbosa Arantes.

O caso

Segundo os autos, em abril de 2014, o réu tentou matar Jeferson Alves da Silva, mas errou o alvo e atingiu Jackson Alves da Silva, que veio a óbito com os tiros de arma de fogo. O crime ocorreu por volta das 21h30, na rua Maranata, Conjunto Luiz Pedro I, na Capital. Ainda de acordo com os autos, o réu quis assassinar Jeferson porque este, supostamente, teria matado o sobrinho do acusado.