Polícia

Família procura professor desaparecido em Maceió desde sábado

Dayane Laet | 22/07/19 - 11h04 - Atualizado em 22/07/19 - 11h32
Professor está desaparecido desde o último sábado (20) | Reprodução / Facebook

Parentes do professor de História Ismael Luiz da Silva, de 35 anos, buscam informações que apontem a localização dele desde o último sábado (20), quando ele deixou uma de suas aulas para realizar uma entrega, dizendo que voltava logo. Desde então, não foi mais visto.

De acordo com informações da irmã do professor, Ana Paula, Ismael utiliza alguns cômodos da casa, no bairro da Chã da Jaqueira, parte alta de Maceió, para dar aulas para concurseiros e preparatório para o Enem, em parceria com um outro colega. "O que mais nos preocupa é que ele nunca desliga o celular e disse aos alunos que voltaria logo", relatou.

Ismael dá aulas de História e também é coordenador de uma escola particular no conjunto Santos Dumont. O professor é natural de São José da Laje, Zona da Mata alagoana, mas já mora em Maceió há anos, e é muito conhecido na região onde leciona.

Ainda segundo Ana Paula, Ismael é solteiro e nunca teve problemas emocionais ou passou por tratamento utilizando medicamento controlado. "Ele não tem carro e não sabemos como ele saiu de casa. Uber, mototaxista ou até mesmo a pé. Estamos desesperados", disse angustiada.

Investigação

A família foi à sede da Divisão Especial de Investigação e Captura (Deic) nesta segunda-feira (22), no bairro da Santa Amélia, onde realizou o registro do desaparecimento.

De acordo com o delegado Thiago Prado, foram iniciados os depoimentos de familiares mais próximos e um levantamento de toda a vida do Ismael, como relacionamentos, ciclo de amigos e  trabalho, para identificar uma linha de investigação. Até o momento, no entanto, a polícia não vê indícios de que o professor tenha sido vítima de um crime, mas trabalha com a possibilidade de "desaparecimento voluntário".

"Toda a parte de inteligência vai ser trabalhada, mas se concluírmos que se trata de um desaparecimento voluntário, sendo ele maior, não há o que se fazer. Uma pessoa maior que sai de casa não é crime, e a família teria que aguardar o contato. A gente vai trabalhar para descartar todas as possibilidades de existir um fato criminoso", declarou.

Caso alguém tenha informações que apontem o paradeiro de Ismael Luiz, pode repassar pelo WhatsApp 9.8812-0631 (irmã), 9.8818-9522 e 9.9989-3281 (irmão), ou ainda, anonimamente, pelo disque-denúncia: 181.

"