Justiça

Ministro Gilmar Mendes mantém suspensão de eleição indireta para o Governo de AL por 48h

TNH1 com Congresso em Foco | 02/05/22 - 08h41
Divulgação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes manteve suspensa a eleição indireta para a escolha de um governador e de um vice-governador para comandar Alagoas até o final do ano. A decisão de Gilmar Mendes suspende a eleição do "governo tampão" pelo menos por 48 horas. Ela estava agendada para esta segunda-feira (2) na Assembleia Legislativa do Estado, no Centro de Maceió..

Em despacho como relator da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) movida pelo PSB contra a eleição, Gilmar Mendes pede informações sobre o pleito à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa e ao governo de Alagoas. E estabelece um prazo de 48 horas para que tais informações sejam prestadas. Assim, dado o prazo, a eleição não acontecerá nesta segunda-feira.

Segundo assessoria de comunicação da ALE, as informações solicitadas pelo STF foram enviadas ainda ontem pela Procuradoria Geral da Casa de Tavares Bastos. 

É mais uma reviravolta no confuso processo eleitoral alagoano. No domingo, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, já tinha suspendido a eleição até que houvesse uma manifestação de Gilmar Mendes, que é o relator da ADPF 969, que questiona as regras da eleição indireta.

“Considerando que os efeitos do ato impugnado encontram-se suspensos por decisão judicial (…), solicitem-se informações à mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas e ao Governo do Estado de Alagoas, no prazo comum de 48 (quarenta e oito) horas”, escreve Gilmar Mendes na sua decisão.