Alagoas

Morre no HGE idosa de 101 anos que foi resgatada em Maceió em situação de abandono

Eberth Lins | 19/08/21 - 08h41 - Atualizado em 19/08/21 - 09h17
Maria Izabel era baiana e vivia abandonada pela família em Alagoas | Foto: Reprodução

A promessa de dias melhores e longe do abandono infelizmente não se tornou uma realidade para a idosa Maria Izabel de Jesus dos Santos, de 101 anos, que não resistiu a um quadro infeccioso e morreu na manhã desta quinta-feira (19), no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió. Ela estava internada há oito dias, desde que foi resgatada de uma casa onde vivia sozinha e em condições desumanas, e não recebeu nenhuma visita de parentes. 

Abandonada pela família, dona Izabel estava há 30 dias prostrada em uma cama. Foto: Reprodução / TV Pajuçara 

Maria Izabel era cega, parcialmente surda e sofria de problemas de locomoção. Antes do resgate, ela estava há cerca de 30 dias prostrada em uma cama e dependia totalmente da boa vontade de vizinhos que revezavam para alimentar, administrar medicação e auxiliar nos cuidados de higiene pessoal.

Vizinho da idosa por mais de 20 anos, César Augusto Pereira da Silva já tinha denunciado o abandono ao Ministério Público Estadual (MPE). Segundo ele, o órgão tinha conhecimento da situação desde outubro de 2020, embora o resgate da mulher só tenha acontecido após o caso ter sido mostrado na TV Pajuçara e publicado no TNH1. "A culpa por ela ter morrido é da falta de assistência. Eu comuniquei o caso ao Ministério Público no ano passado e eles responderam e-mail, passou um tempo e voltei a cobrar até que eles pararam de responder", lamentou o vizinho. "Agora vou pegar todos esses e-mails e enviar ao Conselho Nacional de Justiça para denunciar o descaso", disse ele abalado pela perda. O TNH1 entrou em contato com o Ministério Público e aguarda uma resposta. 

Embora o abandono tenha sido comunicado em outubro de 2020 ao MPE, a idosa só foi socorrida pelo Samu e levada ao HGE na última terça-feira (11). Foto: Cortesia / SSP

De acordo com o hospital, durante todo o período de internação nenhum parente buscou informações ou fez visita à idosa.  "Ela estava internada na Área Amarela da unidade hospitalar, em estado grave, após ser diagnosticada com um derrame pleural bilateral. A idosa foi admitida na quarta-feira (11), às 23h44, com lesão vascular infecciosa na perna direita. Estava aos cuidados da equipe multidisciplinar e sem apresentação de familiares", trouxe o boletim médico.

A idosa era viúva há cinco anos e estava completamente abandonada pela família. Ela morava em uma casa alugada e em condições precárias, no bairro Jatiúca, em Maceió. Um abrigo filantrópico e religioso já tinha se colocado à disposição para acolher Maria Izabel após a alta médica, mesmo ciente de todas as limitações de saúde da mulher.

"Nossa missão é cuidar de todos aqueles que Deus colocar no nosso caminho. Sabemos de todos os problemas, mas aqui ela será amada, cuidada e terá seu descanso respeitado", tinha dito a administradora da ala feminina da Casa de Ranquines, irmã Margarida. Filha de Amélia Quintina de Jesus, Maria Izabel é baiana. A carteira de identidade da idosa, no entanto, é do Estado da Guanabara, território atualmente anexado ao Rio de Janeiro, que teve governo próprio entre 1960 e 1975.