Polícia

Sem poder trabalhar, catadora de recicláveis atropelada enfrenta dificuldades financeiras

TNH1 com TV Pajuçara | 23/09/19 - 10h33 - Atualizado em 23/09/19 - 14h07
Reprodução / TV Pajuçara

A catadora de recicláveis Rayane Danielle da Costa, atropelada na Avenida Josepha de Melo, no bairro de Cruz das Almas, em Maceió, no dia 1º deste mês, recebeu alta após passar 16 dias internada, parte deles na UTI.

Sem ter como trabalhar e em uma cadeira de rodas, por conta da dificuldade de locomoção, a mulher ainda precisa contar com a ajuda do marido, e com isso, nenhum dos dois consegue trabalhar e obter renda para se manter.

O responsável pelo atropelamento, Arthur Fontes de Alcântara, chegou a ser preso, mas foi liberado após audiência de custódia e fiança de R$ 7 mil. O casal de catadores conta que até o momento, não recebeu nenhum tipo de ajuda do condutor.

"O rapaz não deu nenhuma satisfação. Era a Rayane que me ajudava, mas eu vou ter que ficar cuidando dela, dos meninos. Foi uma falta de responsabilidade dele, da maneira que ele vinha, em alta velocidade, para chegar a uma situação dessa", reclama o marido, Marcos Antônio.

Rayane está grávida, e o bebê passa bem, mas ela ainda vai precisar passar por cirurgia, por conta de fraturas na clavícula e na perna. Ela também teve traumatismo cranioencefálico e está com dificuldades para enxergar.

Do dia do acidente, ela não lembra de muita coisa. "Eu lembro que o carro tava dando cavalo de pau e subiu na calçada, mas não deu tempo de eu correr", relata.

O TNH1 entrou em contato com o advogado Rodrigo Monteiro, que faz a defesa de Arthur Fontes, e ele informou que entrará em contato com a família para providenciar a ajuda referente ao caso.

Quem tiver interesse em oferecer ajuda para Rayane pode entrar em contato com o esposo dela, Marcos dos Santos, através do número de telefone (82) 99142-9968.