Justiça

Acusado de triplo homicídio em Maceió é condenado a 91 anos de prisão

Da redação, com Ascom TJ-AL | 22/10/21 - 17h20 - Atualizado em 22/10/21 - 17h25
Júri do acusado dos crimes cometidos em 2017 ocorreu nessa quinta-feira (21), no Fórum do Barro Duro | Ascom TJ-AL

O Conselho de Sentença do 1º Tribunal do Júri de Maceió condenou Luciano dos Santos Oliveira a 91 anos, oito meses e 15 dias de reclusão por três homicídios e um roubo praticados em outubro de 2017, em Maceió. O júri popular ocorreu nessa quinta-feira (21), no Fórum do Barro Duro.

Os assassinatos tiveram como vítimas Jeferson Fernando Freire, Ingrid Dayane da Silva e José Fernando dos Santos. De acordo com os autos, Luciano invadiu a casa de José Fernando e o atingiu com quatro disparos. O réu roubou três celulares que estavam no local e, depois, foi em direção à casa vizinha, onde moravam Jeferson, filho da primeira vítima, e Dayane. Jeferson foi baleado 12 vezes. Já a mulher, sete.

"Todas as vítimas estavam em casa, descansando, pois já era madrugada, quando foram pegas de surpresa com a conduta do acusado", afirmou o juiz Filipe Munguba, que presidiu o júri.

Ainda segundo os autos, Luciano e Jeferson tinham envolvimento com o tráfico de drogas e seriam integrantes de facções rivais. Após os crimes, o réu fugiu, sendo capturado em maio de 2018. Aos policiais que efetuaram sua prisão, ele chegou a apresentar um documento pertencente a outra pessoa.

Além da pena de 91 anos, o réu deverá cumprir quatro meses e 20 dias de detenção pelo uso do documento falso e pagar 360 dias-multa, cada um no patamar de 1/30 do salário mínimo vigente à época do fato.