Justiça

Acusados na morte da estudante Roberta Dias serão interrogados na próxima terça-feira, 26

Bruno Soriano | 19/10/21 - 18h04 - Atualizado em 19/10/21 - 18h37
Emblemático, caso Roberta Dias se arrasta há nove anos e já mobilizou Conselho Nacional de Justiça | Arquivo pessoal

Acusados na morte da jovem Roberta Dias, os réus Mary Jane Araújo Santos e Karlo Bruno Pereira Tavares vão prestar depoimento na próxima terça-feira (26) ao juiz Nelson Fernando de Medeiros, titular da 4ª Vara Criminal de Penedo, sobre o crime registrado em abril de 2012, quando a estudante, que estava grávida de três meses, foi sequestrada e asfixiada com um fio de som automotivo. 

Os restos mortais de Roberta só foram encontrados nove anos depois, em julho passado, no Pontal do Peba, em Piaçabuçu, após familiares realizarem buscas por conta própria. 

Apontada como a “mentora e financiadora do crime”, Mary Jane é a mãe do jovem Saullo de Tasso, com quem Roberta se relacionou, enquanto Karlo Bruno é amigo de Saullo, de Thasso Araújo dos Santos, pai do filho que a jovem esperava. Conforme as investigações, Saullo – que, à época, era menor de idade – não queria assumir a criança. 

Eles são acusados de homicídio duplamente qualificado, ocultação de cadáver e aborto provocado por terceiro. Ambos respondem em liberdade.

Após as oitivas, o magistrado deve, então, decidir pela liberação da ossada de Roberta, para que a família – que, após manifestação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), já vive a expectativa do Tribunal do Júri – possa finalmente providenciar o sepultamento.