Justiça

Policial aposentado que atirou em motorista vira réu por homicídio simples

Redação TNH1 | 11/11/21 - 16h33 - Atualizado em 11/11/21 - 17h07
Fábio Jhonata morreu após ser baleado em discussão de trânsito | Arquivo pessoal

A Justiça de Alagoas acolheu na última terça-feira, 9, denúncia do Ministério Público Estadual (MP-AL) e tornou réu por homicídio simples o policial militar aposentado Gedival Souza Silva. Ele está preso desde o dia 14 de outubro, quando se envolveu em uma briga de trânsito e atirou no motorista da Secretaria Municipal de Saúde, Fábio Jhonata da Silva, que morreu no dia 22 de outubro

A juíza Luana Cavalcante de Freita, da 8ª Vara Criminal da Capital, entendeu que a denúncia ofertada pelo MP-AL tem materialidade e indícios suficientes de autoria do crime. A magistrada determinou que o réu seja notificado sobre o recebimento da denúncia e solicitou que o Instituto Médico Legal envie o laudo cadavérico da vítima para que seja anexado ao processo. 

O Ministério Público encaminhou a denúncia na segunda-feira, 8, por meio do promotor de justiça Ary de Medeiros Lages Filho. No pedido do MP, o policial militar aposentado deve responder por homicídio simples, que prevê pena de 6 a 20 anos de reclusão. Em contato com o TNH1, a família de Fábio informou que vai se reunir hoje com o advogado. A família quer entender o motivo da denúncia ter sido por homicídio simples e não qualificado, como havia informado a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Além disso, a família lembrou ainda do erro na documentação para liberação do corpo no Hospital Geral do Estado, o que terminou causando a interrupção do velório para que um novo exame de necropsia fosse realizado

A reportagem está tentando contato com a defesa do policial aposentado Genival Souza Silva. O espaço segue aberto para posicionamento. 

Entenda o caso - Fábio foi baleado no tórax e no abdômen por um policial militar da reserva, que foi preso em flagrante por policiais militares do 1º Batalhão, em um trecho da Rua Dias Cabral, no dia 14 de outubro. Um vídeo que circulou nas redes sociais mostra o motorista sentado em uma calçada e sendo socorrido por populares. 

Na ocasião, testemunhas relataram que a discussão começou quando o militar teria sido “fechado” pelo motorista, que prestava serviço para a Prefeitura de Maceió. Ao retornar para o automóvel, o agressor, então, efetuou dois disparos, atingindo-o na região das costas.

O motorista passou por procedimentos cirúrgicos no mesmo dia em que foi internado, na última quinta-feira (14), mas não resistiu e faleceu sete dias depois.